domingo, 9 de outubro de 2016

Resenha: Caderno de Um Ausente

Olá, gente! Sei que andei sumida por aqui, mas pretendo voltar aos pouquinhos, tudo bem?
Bem, hoje eu vim falar de um livro que simplesmente me encantou mais e mais a cada página que eu lia. O nome é Caderno de Um Ausente, do escritor brasileiro João Anzanello Carrascoza.

O enredo da obra é o seguinte: um pai decide deixar um caderno de registros para a filha recém nascida, por medo de não estar presente no futuro dela. Neste caderno, tipo um diário, ele narra toda a sua vida para a filha, Bia. Desde antes de ela ser gerada. De sua família, de seu irmão Mateus, fruto de outro casamento, de suas impressões sobre a vida: a que passou, e a que ainda está por vir. O livro possui uma linguagem muito poética e demonstra, na minha percepção, aqueles momentos (mais raros do que deveriam ser) em que nos damos conta de como a vida é curta, simples e maravilhosa. Cada detalhezinho que seja importa, porque é nosso, faz parte da nossa essência. Mas, não costumamos prestar atenção nisso.

Não digo que este livro é uma lição de vida pois talvez seja muito forte, mas com certeza é um ponto para reflexão. 

"A tua história, Bia, é o bem mais precioso que tens, ainda que não venha a ser grandiosa, é a tua história que te dará a medida de estar no mundo, ela é que exorbita ou reduz o teu valor perante ti mesma e perante a misteriosa avaliação dos outros não há como te esterilizar do passado (que veio de mim e de tua mãe e já se aderiu ao teu espírito feito solda), qualquer história, enquanto se desdobra, é um reino de possibilidades, uma história, quando a escrevemos, delineia aquilo que poderia ser, nunca o que foi nem o que é, porque a memória (o passado) só se revigora se a formulamos de novo (no presente), retocando a luz de sua trama com o grafite das trevas, a tua história, Bia, há de ser mais uma cicatriz que se somará a outras nas páginas de rosto da nossa família, e eu te louvo, filha, por aqui estar, fio de água, no broto de tua nascente, pra cumprir o teu curso, e eu te peço perdão, outra vez, por não poder te poupar das chagas que te esperam lá na frente, nem ter o unguento que amenizará a ausência, seja a minha, seja a de quem um dia te abandonar (...)". 


Não posso dizer mais nada a não ser: leiam este livro. Não vão se arrepender. Ele é, definitivamente, aquele tipo de livro que agrega poesia, sensibilidade e sabedoria á nossa vida.

Há muita presença nessa ausência que o personagem pai teme deixar. 

17 comentários:

  1. Oi Bruna,
    O autor é sulista? Ele escreve utilizando a segunda pessoa do singular. Deve ser um livro muito emocionante. Valeu pela dica.
    Beijos,
    André, do Garotos Perdidos
    www.garotosperdidos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!Ele é paulista! Interessante, não?
      Que bom que gostou! ;)
      Beijos

      Excluir
  2. Segunda pessoa? Hahaha já começando por aí, esse livro parece realmente ser muito bom!
    Ultimamente estou adorando livros com essa temática, que nos fazem refletir.

    Beijos

    http://blog-myselfhere.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! É um amor esse livro, principalmente por ser em segunda pessoa! Haha
      Beijos.

      Excluir
  3. Olá!
    Já sei que vou me emocionar com esse livro.
    Questões entre pais e filhos, mexem comigo.
    Adorei sua resenha, já anotei e vou procurar pra ler em breve.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Márcia, é muito emocionante!
      É como ler um diário, parece que acontece com a gente pelo jeito que ele se refere a filha!
      Espero que goste! Conte aqui o que achou quando ler!

      Excluir
  4. Olá!
    A história parece ser bem profunda e emocionante. Apesar disso não sei se leria por não estar acostumada a ler esse estilo, mas vou anotar a dica, vai que eu resolva tentar né.

    Beijos
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que você tente um dia! Acho que não vai se arrepender!
      Hahaha
      Beijos

      Excluir
  5. Hey! Nunca ouvi falar nesse livro, mas confesso que nao me interessei muito :/ Apesar de gostar muito poesia e sensibilidade, então deixo a dica passar. Flores no Outono 

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aléxia! Não é todo mundo que curte diários, né? Heheh
      Se um dia der uma chance pro livro, conta aqui!
      Beijos

      Excluir
  6. Uma das colunistas resenhou o livro lá no blog, mas até então eu não o conhecia. Achei a ideia interessante e deve ser bem emocionante ler e refletir nas coisas que não notamos tanto no dia a dia.
    Acredito que o fato de sempre pensarmos que teremos o amanhã nos faz deixar de dar importancia aos pequenos detalhes - e senti que parece ser isso que o livro tenta mostrar - uma reflexão para notar os pequenos momentos da vida.
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lica, é verdade! A vida é tão corrida que a gente não pensa nos detalhes, e no quanto eles são importantes!
      Beijos.

      Excluir
  7. Olá, eu não conhecia este livro, mas ele parece trazer um relado bem sensivel e até tocante, vou anotar a dica e espero poder lê-lo em breve.

    http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o autor ou o livro, mas a forma que escreve me chama a atenção. Vai ficar na minha lista, com certeza. Beijos!

    Carolina Gama

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, coloca na lista sim! Super vale a pena! Hahaha
      Beijos

      Excluir
  9. O livro realmente parece ser interessante, mas não é o tipo de leitura que eu procuro no momento. Estou em uma fase de livros fantásticos, por incrível que pareça.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir